sorvete chanel 1

Fome. Fome é um bicho que te corrói por dentro. Parece que vai matar cada um dos seus nervos, comer cada uma das suas fibras e dilacerar seus músculos. Fome é terrível. Não consigo entrar em dieta e não pensar nas milhares de pessoas que morrem de fome todos os dias. Naquelas pessoas cadavéricas na África, nos mendigos que vivem próximo do meu prédio e nas modelos que não comem. Eu sei, é ridículo e nojento eu pensar nas modelos, mas de todos esses, elas são as únicas que fazem isso por opção. A opção chamada dinheiro.

Elas ganham pra isso. Então por quê eu quero fazer algo que não me dá prazer se eu não vou ganhar pra isso? Mas parece que toda revista me diz que eu vou sentir um imenso prazer em ser magra. Vou ser mais linda. Pera lá, isso eu já não sei, mas vou ser mais magra, o que é a mesma coisa.
Hoje em dia, as pessoas te elogiam com essa frase: “Você está tão magra”. A palavra magro/magra virou elogio, virou mérito, você conseguiu alguma coisa, o GPS da beleza te disse: “Você chegou lá”, você é o cara (ou a mina), você é tudo que todo mundo quer ser na indústria da beleza e sem receber um centavo por isso. Mas você é magra!

Bom, eu não sou e continuo com fome! Fome é algo que me dilacera física e mentalmente. Eu fico mal humorada quando estou com fome, não consigo trabalhar, só consigo pensar na minha próxima refeição. Toda vez que entro em uma dieta é a mesma coisa: SO-FRI-MEN-TO! Eu como já pensando na próxima vez que vou comer. Comer de 3 em 3 horas é um martírio físico. Eu como, 30 minutos passam e eu já estou MOR-REN-DO de fome novamente! 3 horas é a eternidade em forma de fome. E eu fico aqui escrevendo essas palavras e só me dá mais fome. Só consigo pensar em pão de queijo com doce de leite. Aquele pão de queijo quentinho e uma colher de sobremesa escorrendo por cima do meu delicioso pão de queijo.
Por quê eu gosto tanto de comer? Só queria ser magra, não gostar de comer seria ótimo! Ajudaria muito.

A Gisele Bündchen, a modelo, você sabe quem é. Claro que sabe. Ela diz comer de tudo, até sorvete. Mandou ver em uma lata de sorvete no Jô! E a única coisa que eu consigo pensar é: quanto a Kibon pagou pra ela fazer isso?
É claro que ela não come sorvete. E se come eu não quero saber, porque isso só me deixa com raiva, frustrada e com fome. Querendo sorvete, claro!
Voltando à realidade. Hoje não vou confessar meus pecados para vocês. Não quero nem pensar no que eu comi. Não me lembro. Mas se você quiser, sinta-se à vontade em confessar os seus pecados aqui embaixo. Boa noite!

Foto: Chanel Ad

Texto postado em 29.10.2013 no I Could Kill For Dessert. A coluna Já engordei por menos joi transferida para este blog.